Escolha uma Página

CONHEÇA O DOJÔ DE CRIATIVIDADE

Hey, pequeno gafanhoto, meu nome é Eddie Felix, o Ninja Criativo, e sou o sensei responsável por este dojô.  Vou explicar para você um pouco do nosso propósito, nossos valores, e nossa história. Siga me os bons.

O Ninja Criativo

Nosso Lema

Criar experiências de aprendizagem únicas, divertidas e transformadoras

Únicas

Cada pessoa aprende de um jeito, e cada pessoa absorve o conhecimento de maneira única. Nosso método foi desenvolvido de forma que cada pessoa consiga aprender no seu tempo e da sua maneira.

Divertidas

O bom humor é uma ótima ferramenta de aprendizagem e que fazemos questão de utilizar. Ao fazer um treinamento com a gente, você aprende enquanto se diverte, e se diverte enquanto aprende.

Transformadoras

O nosso objetivo não apenas transmitir conteúdo. O que queremos é gerar uma transformação positiva na sua vida, na sua maneira de pensar, de agir, de ver as coisas no dia a dia.

PILARES DA APRENDIZAGEM DO NINJA CRIATIVO

1 – JUST DO IT (Aprender fazendo)

Acreditamos que o verdadeiro aprendizado ocorre pela prática. Não adianta acumular conhecimento teórico na cabeça se nada disso é colocado em ação, no mundo real. É por isso que todas as nossas aulas são “mão na massa”, onde você coloca em ação o conteúdo aprendido.

2 – EMPATIA

Aprender a se colocar no lugar do outro é uma habilidade fundamental para criar conexões duradouras e conviver harmoniosamente com as pessoas. Seja para aprender ou para ensinar, a empatia está presente na nossa escola e nossa maneira de agir.

3 – EXPERIÊNCIA TRANSFORMADORA

Nós não nos preocupamos apenas com conteúdo, mas com todo o processo do aprender. Por isso, não espere encontrar apenas mais uma aula de apenas mais um curso. Aqui você vivenciará incríveis experiências de aprendizagem que vão transformar a sua vida.

4 – ENTRETENIMENTO

Quem disse que estudar precisa ser chato ou maçante? Aqui nós levamos a sério o entretenimento. Claro que você vai ter conteúdo de qualidade, mas de uma maneira que nem parece que está em uma escola. Inclusive costumamos dizer que não damos aula, damos show.

Porque CRIATIVIDIADE?

Resumidamente, pode-se dizer que tudo começou em 2011, quando eu, uma pessoa que se julgava não criativo, que acreditava que a criatividade era um dom que nascia com algumas pessoas (e que eu não tinha), tive a oportunidade de ler um livro chamado “Um toc na cuca”.

Neste livro descobri que todas as pessoas têm potencial para ser criativo, e para isso existe uma série de passos para desenvolver e melhorar a criatividade.

Segui as dicas propostas no livro, e comecei a estudar tudo o que encontrei sobre criatividade, e me apaixonei pelo assunto. Aos poucos fui percebendo que estava me tornando mais criativo.

E ao mesmo tempo em que me tornava mais criativo, comecei a estudar a importância da criatividade no mundo atual.

Fiquei maravilhado com as possibilidades que as pessoas criativas terão no futuro. E também fiquei assustado com os problemas que terão as pessoas que não são criativas.

Um mundo cada vez mais automatizados, onde robôs e computadores tiram diversos empregos diariamente das pessoas, o grande diferencial humano será (e já é) a criatividade.

Não por ser uma disciplina melhor que as outras, mas por ser algo inerente do ser humano, e, principalmente, por ser uma das coisas que nos distingue das máquinas.

Além disso, a criatividade pode servir como ferramenta para resolver problemas comuns do dia a dia, para inovar e criar oportunidades, e até mesmo para nos divertir.

E foi por isso que resolvi trabalhar com a criatividade, se eu consegui desenvolver essa habilidade, consegui reaprender a ser criativo, então, acredito que outras pessoas também conseguem.

Aproveitando então o meu histórico na educação (fui professor da rede estadual de ensino, por mais de 10 anos), resolvi ensinar o que aprendi sobre criatividade.

No começo não era nada sério, eram apenas dicas e conversas com amigos, e sempre que eles apresentavam algum problema, eu os ajudava a resolver com criatividade.

A coisa ficou séria mesmo em 2015, quando, já fora da escola, decidi organizar um curso estruturado de criatividade, juntando a minha experiência tanto com criatividade quanto na educação, com os meus estudos dos últimos 4 anos.

O resultado disso foi um curso muito legal onde os participantes puderam aprender muita coisa sobre criatividade, e despertar o seu potencial. Porém, faltava colocar esse aprendizado em prática, falta tirar as ideias da cabeça e colocar em ação.

As aulas ainda estavam muito próximas do modelo tradicional de ensino, que obviamente não funciona mais (se é que algum dia já funcionou). Um professor na frente passando conteúdo, e os alunos, sentados, ouvindo… NO FUCKING WAY

Embora tenha gostado do resultado do curso de uma maneira geral, não dava para me concentrar apenas em conteúdo, eu sabia que tinha que partir para um outro nível, um nível ninja de criatividade.

Desde então, o meu objetivo é criar incríveis experiências de aprendizagens, onde as pessoas não só aprendam conteúdo de qualidade, mas também de uma maneira única, divertida e transformadora..

O resultado disso é uma escola (que não parece uma escola) que traz uma nova maneira de ensinar e aprender, focada na experiência e conhecimento prático, com o objetivo de transformar você em um ninja da criatividade.

Porque DOJÔ?

O Dojô de Criatividade é uma escola de criatividade, com cursos livres dentro deste tema. Resolvi dar o nome de Dojô por causa da minha própria história de vida.

Sou praticante de artes marciais a mais de 20 anos, e graças a isso fui capaz de fazer vários amigos, conhecer lugares novos, descobrir e ultrapassar meus medos e limitações, participar de competições e etc.

Porém, o que sempre me chamou a atenção foi a parte filosófica das artes marciais, a ideia de se desenvolver por inteiro, e não só a parte física. Isso me deixava encantado.

Decidi que minha escola de criatividade teria esse conceito. Um local onde as pessoas viessem não só para aprender criatividade, mas para se tornarem pessoas melhores, mais felizes, mais harmoniosas, mais sábias.

E a ideia de chamar de dojô ao invés de escola vem da própria origem da palavra. Embora hoje em dia seja usada para designar o lugar onde se treina artes marciais, originalmente, um dojô era o local nos templos onde os monges iam para receber instrução e ensinamentos.

DOJOKUN – OS PRINCÍPIOS DO NINJA CRIATIVO

A primeira arte marcial que tive contato foi o Karatê, e também a que pratiquei por mais tempo (mais de 10 anos), onde conheci o Dojo Kun, uma “tábua” de princípios que devem ser seguidos pelos praticantes de artes marciais japonesas, tanto dentro quanto fora do dojô.

Esses princípios me ajudaram a formar o meu carácter, a minha personalidade, e mesmo não praticando mais o Karatê, até hoje sigo esses preceitos, e os aplico na minha vida.

E justamente por esses princípios terem sido tão bons para mim, e ter me influenciado tanto de maneira positiva, decidi que dojô de criatividade também teria seus princípios, algo que ajudasse as pessoas a se tornarem mais criativas.

1 – Princípio da Ação
Uma das coisas mais importantes para uma pessoa criativa é colocar as ideias em ação. Uma ideia que fica na cabeça não serve para muita coisa. Então, a primeira coisa para se tornar um ninja criativo é “fazer”. Coloque suas ideias em prática, just do it.

 

2 – Princípio da Colaboração
Para explicar este princípio gosto de fazer uma analogia com peças de Lego. Não dá pra fazer muita coisa com apenas uma. Mas com várias delas as combinações são inúmeras. Com a criatividade é a mesma coisa, você pode conseguir resultados melhores se trabalhar com outras pessoas, seja ajudando, seja recebendo ajuda.

 

3 – Princípio do Aprendiz
As pessoas criativas tem uma característica muito interessante que é a de estar o tempo todo aprendendo. Seja com situações boas ou ruins, os criativos sempre buscam aprender coisas novas. E se você quiser ser um ninja criativo, precisa ter essa mentalidade, de estar sempre aprendendo.

 

4 – Princípio do Mestre
Aprender é muito importante, mas é igualmente importante ensinar aquilo que você sabe, seja um conteúdo, uma maneira mais fácil/rápida de fazer alguma coisa, ou até mesmo uma piada. O importante é que você passe adiante os seus conhecimentos. Inclusive, no Dojô de Criatividade, nós damos carta branca para que os discípulos retransmitam todos os ensinamentos que aprenderem aqui.

 

5 – Princípio do Kung Fu
Kung fu, ao contrário do que muitos acreditam, não significa um estilo de luta, significa “trabalho duro”, algo que é conquistado com muito esforço e dedicação (e por isso é associado às artes marciais chinesas, cujo o nome é wushu).
Kung fu, no contexto da criatividade, significa trabalhar duro naquilo que você acredita, naquilo que você quer conquistar, ser persistente e resiliente. Acima de tudo, trabalhar duro não é apenas trabalhar muito, mas sim, trabalhar inteligentemente, empregando os esforços nos lugares certos, e da maneira certa.

E aí? Preparado para essa experiência?